a



» sexo
» beleza
» use e abuse
» gente
» esoterismo
» moda
» ela+ele
» comportamento
» saúde
» vida light
» gdes mulheres
» só deles
» profissões
» pé na tábua
» pratos & cia
» shenews
» ambientes
» baladas & etc
» rindo deles
» colunistas
» quadrinhos
» cartões virtuais
» concursos
» fórum virtual


 
 

 
 
»

Coleira todo mundo sabe o que é. E ninguém gosta de usar. Porque o cachorro nunca põe a coleira em si, é sempre alguém que se acha dono de tudo que amarra a corda no pescoço do cão.

As relações a dois sempre têm componentes de posse e pelo menos um sempre se acha um pouco dono do outro, quando o caso não atinge a ambos. Com ou sem aliança, com ou sem compromisso, com ou sem casamento, sempre fica no ar algumas obrigações básicas como a fidelidade, o amor correspondido e se não forem coleiras, alguns braceletes e fitinhas são inevitavelmente atadas.

Pra piorar tudo, há ainda a culpa, de raízes religiosas e humanas, que nos fazem lembrar que pecamos tanto por obras e palavras quanto por pensamentos. Basta que seu cérebro inclua meia dúzia de cenas sexualmente picantes nos seus sonhos com um par que não seja o seu e pronto, já bate a culpinha. Mesmo que seja o Brad Pitt, tão inacessível para o colchão da realidade quando a montanha K2 do Everest, e ainda com a desvantagem de você não poder contar pra ninguém caso consiga escalar o Brad Pritt.

Some-se a toda a história da humanidade as dificuldades do nosso fim-de-século, como as DSTs e a ainda temível AIDS, duas coleiras que limitam em muito a vida amorosa, especialmente, aquela liberdade com pinceladas de promiscuidade.

E no entanto (e sempre existe um 'no entanto'), apesar de todas as limitações reais para a concretização dos impulsos da libido nunca se estimulou tanto o consumo do sexo como agora. Não porque a humanidade tenha ficado mais sexy mas porque as indústrias da sexualidade consolidaram-se, as tecnologias lançaram e aprimoraram os meios de comunicação.

Diante da banca de revistas com tantas opções plásticas e estéticas, dá quase vergonha de acreditar no amor. Mas o amor existe, acredite. E o amor, acontece. Com ou sem coleira. E, muito ao contrário da coleira, não é o dono, que nos guia, é o poder incomensurável do amor, que rasga as amarras, derruba barreiras, com a força da certeza, aquela, que nasce do coração de quem...ama.

O amor não é apenas lindo. O amor é essencial à vida. Ame. E deixe-se amar. Sem coleiras.









índice | home
..