a



» sexo
» beleza
» use e abuse
» gente
» esoterismo
» moda
» ela+ele
» comportamento
» saúde
» vida light
» gdes mulheres
» só deles
» profissões
» pé na tábua
» pratos & cia
» shenews
» ambientes
» baladas & etc
» rindo deles
» colunistas
» quadrinhos
» cartões virtuais
» concursos
» fórum virtual


 
 

 
 
»

Todo mundo passa por isso na vida. Chega um dia em que a gente tem que sentar e montar o próprio currículo, uma espécie de atestado de competência para continuar na face do planeta, uma prova documentada de que você serve para alguma coisa.

Fazer o próprio currículo é como escrever release de artista: só pode falar bem do fulano de tal. Ninguém vai escrever sobre um cantor falando de seus problemas, defeitos e dificuldades e se for realmente necessário mencionar os itens ruins, a gente faz como nos rótulos de produtos: escreve bem pequenininho.

Em geral, esse documento não é exatamente público, a gente só dá quando alguém pede ou quando está desempregado e precisa que alguém nos queira. No entanto, ler os currículos alheios é algo muito interessante e influencia nossos sentimentos sobre a pessoa em questão. Você pode deixar de antipatizar com alguém por causa de seu histórico escolar e profissional ou apaixonar-se pela trajetória profissional de alguém.

Aconteceu comigo há alguns dias, quando tive que verter vários currículos de colegas de trabalho para o inglês. Fiquei surpresa com algumas pessoas tímidas e caladas que trazem no seu silêncio dez anos vivendo em Milão, um ano em Paris, cargos de presidentes de empresas na América Latina. Ou de hoje senhores que aos 20 anos foram laureados com prêmios de destaque nacional. Ou ainda a garota de 23 anos que aos 21 já era diretora de divisões importantes da empresa.

Um dos currículos que li, o que mais impressionava, foi justamente o menor: um homem de 49 anos, que trabalhou 23 anos na mesma empresa, a Coca-Cola e ocupou o mesmo cargo, residente de Operações, em três países, México, Brasil e Filipinas. Convenhamos, um ex-presidente da Coca Cola tem um significado forte no plano mundial.

No fundo, não conhecemos ninguém de verdade. Não sabemos o que uma pessoa já fez, já viveu ou muito menos do que é capaz, para o bem e para o mal. Portanto, se não for pedir muito para o seu currículo, experimente passar o dia de hoje tratando todo mundo bem, ou o melhor possível. Não vai melhorar o seu currículo impresso mas vai adicionar leveza a sua alma...









índice | home
..